Anuncio 2

Colapsar

Anuncio

Colapsar
No hay anuncio todavía.

Programa FX-2

Colapsar
X
 
  • Filtrar
  • Tiempo
  • Mostrar
Limpiar Todo
nuevos mensajes

  • #6
    Vejam a Notícia!

    Novo caça Sukhoi começa produção
    Indústria russa anuncia o substituto do SU-27
    08.03.2007


    Segundo informações da agência de notícias russa ITAR-TASS, terá finalmente começado o processo que conduzirá à produção do primeiro caça russo de 5ª geração.
    Segundo as fontes russas, a produção do que será provavelmente o primeiro protótipo de avião, será feita pela NAPO, nas instalações de Komsomol-am-Amur..A NAPO pertence ao consórcio Sukhoi.

    Os problemas económicos por que a industria russa passou durante os anos 90, levaram a que os trabalhos de desenvolvimento tenham chegado quase a parar, mas a alta do preço do petróleo e a disponibilidade de dinheiro fresco por parte do governo russo, levou a que os projectos há muito tempo congelados voltassem agora a ressurgir.

    Neste contexto é também na fábrica de Komsomol-am-Amur que se tem vindo a construir desde 2006, e em pequena escala, o caça bombardeiro SU-34, também ele uma versão muito modificada do SU-27, e que se destinava inicialmente à função de bombardeiro naval baseado em terra.

    Embora se continue a promover as aeronaves mais antigas para venda no mercado internacional, o novo avião deverá substituir as aeronaves da família SU-27/SU-30, que estão a completar trinta anos desde que voaram pela primeira vez na Rússia, e que deverão estar próximas dos 40, quando o novo avião estiver operacional.

    Foram divulgadas também intenções de substituir o mais ligeiro MiG-29, embora neste caso, os custos provavelmente venham a impedir essa substituição de ser posta em prática.

    Existe muita especulação sobre as características da aeronave, mas a informação mais concreta afirma que se tratará de uma derivação do avião experimental SU-47 Berkut, com a adição de alterações decorrentes da análise das tendências da tecnologia e de estudos mais recentes que pretendem englobar os estudos russos no sentido de procurar produzir um avião com menor «assinatura» perante os radares, na linha do que os americanos fizeram com o F-22.

    Desde a primeira guerra do golfo, que os russos têm procurado desenvolver, ou copiar a tecnologia que permite às aeronaves Stealth dos Estados Unidos iludir um grande numero de radares e evadir-se ou despistar mísseis anti-aéreos.

    Durante o conflito no Kosovo, quando uma aeronave Stealth americana que voava a baixa altitude, foi abatida pelas defesas anti-aéreas sérvias, os russos mostraram-se imediatamente interessados em recolher amostras dos materiais que cobriam o avião.

    Os russos poderão assim ter pelo menos parcialmente, desenvolvido a capacidade de ocultar uma aeronave, e esta capacidade é vista como muito importante, pois neste aspecto o caça SU-27 é conhecido por ter uma assinatura inconfundível nos radares de um potencial inimigo.

    A aeronave, também deverá aproveitar os estudos e desenvolvimentos russos na área da manobrabilidade, incorporando os mais sofisticados e modernos motores com vectorização de impulso, que lhe darão uma capacidade acrescida quando for necessário iludir adversários ou mísseis a curta distância..

    O programa porém, não será rápido. Há muitos custos envolvidos, e grande parte dos engenheiros russos que existiam há 15 anos, já não estão ao serviço ou abandonaram a indústria por falta de opções. A Rússia já estabeleceu negociações com a Índia para o possível desenvolvimento conjunto do novo caça, e a promessa é uma das principais argumentações comerciais dos russos, para obter novas encomendas no mercado indiano.

    Se o programa decorrer como é normal, sem atrasos, a primeira aeronave poderá voar em 2009/2010, e as primeiras unidades poderão ser declaradas operacionais entre 2014 e 2016.

    Fonte: www.areamilitar.net
    Deve, pois, um príncipe não ter outro objetivo nem outro pensamento, nem tomar qualquer outra coisa por fazer, senão a guerra e a sua organização e disciplina, pois que é essa a única arte que compete a quem comanda. (Machiavelli)

    Comentario


    • #7
      Yo vote por el Rafale, es lo que la Fuerza Aerea y la Aviaciòn Naval Brasileña se merece. Typhoon no, es muy caro.

      Preguntas: ¿El Mirage 2000-5/9 no encaja entre las opciones? ¿Y si fuera fabricado localmente? ¿O simplemente no ha sido tomado en cuenta?

      Un joint-venture entre Brasil (upgrade de su flota actual y mas unidades), Argentina (usuario historico del la familia Mirage que necesita un nuevo caza) y el Peru (upgrade de flota actual y porque no, expansiòn de la misma).

      Seria el caza estandar sudamericano, Peru veria modernizada su flota, Argentina tendria al digno reemplazo que sus Mirage III merecen y Brazil incremetaria el know-how que ya posee su industria aeronautica y daria pie para proyectos mas ambiciosos en el futuro, como revivir al SAIA-90 (un concepto avanzadisimo en mi opiniòn) y asi reducir la depedencia del armamento exterior y fomentar la I+D en nuestros paises.

      Gracias por las respuestas de antemano.

      Saludos!
      “…DOT&E has sufficient data to conclude that both [Littoral Combat Ship - LCS] seaframe variants are not operationally suitable …”

      Statement By J. Michael Gilmore, Director, Operational Test and Evaluation, Office of the Secretary of Defense, Before the US House of Representatives Armed Services Committee on the Navy’s Littoral Combat Ship Program, Dec 8, 2016

      https://deftech.wordpress.com/

      Comentario


      • #8
        Estimado Ian!

        Tengo entendido de que el Mirage 2000 ya no se encuentra en fabricación. O mejor dicho, Dassault ya lo tiene borrado de su programa de producción. Ello significa, que habría que entrar a fabricarlo de la nada, sin el apoyo técnico de la empresa, por lo cual los costos se van a las nubes. Creo que el ideal es ir por algo mas nuevo y mas actuál. Al igual que Chile, mas vale tener poco, pero tecnológicamente avanzado.

        Salu2

        Comentario


        • #9
          Si, verdad.
          Francia ya no fabrica más los Mirage, optando por cerrar la linea de producción para priorizar al Rafale.
          Los Mirage eran tan buenos aviones que los países optaban por continuar a comprar ese modelo. Fue una questión empresarial, mirando al futuro producto.

          Comentario


          • #10
            Esteee... Yo escribi claramente "fabricado localmente". Se que Francia no lo fabrica mas y se que fue para darle empuje al Rafale... Una muy mala jugada comercial en mi opinión, segun me comentaba el forista Mingo en Las Palmas el dia de la exhibicion de los Vipers. Y yo coincido con el.

            Yo me referia que Brazil adquiera la linea de producción del Mirage 2000, que es un caza magnifico, de los mejores que hay en el mundo. Dassault metio la pata con furia al sacarlo de producción.

            Ese es exactamente mi punto.

            Gracias por las respuestas de antemano!

            Saludos!
            “…DOT&E has sufficient data to conclude that both [Littoral Combat Ship - LCS] seaframe variants are not operationally suitable …”

            Statement By J. Michael Gilmore, Director, Operational Test and Evaluation, Office of the Secretary of Defense, Before the US House of Representatives Armed Services Committee on the Navy’s Littoral Combat Ship Program, Dec 8, 2016

            https://deftech.wordpress.com/

            Comentario

            Trabajando...
            X